[Biografia] Ibrahim Saleh e Erik Neveu

Por Nathália Monteiro

Ainda que com algumas dificuldades, o segundo dia do 7º SBPJor teve início. O trânsito de São Paulo exigiu uma pequena mudança na programação da manhã desta quinta-feira. Um dos conferencistas, Erik Neveu, não conseguiu chegar a tempo de abrir as atividades do dia. Por isso, Ibrahim Mostafa Saleh subiu ao palco e fez sua palestra sobre o ensino do jornalismo no Oriente Médio e Norte da África.

Ibrahim Saleh

Saleh é coordenador da Seção de Educação e Pesquisa em Jornalismo da International Association For Media & Communication Research (IAMCR), representante do Academic Council on the United Nations System (ACUNS) para África e Oriente Médio, consultor do Information and Decision Support Center (IDSC), no Egito, e co-fundador do Arab-European Media Observatory. Além disso, Saleh atua como palestrante e professor universitário nos cinco continentes.

Saleh também é autor de vários livros, como Prior to the Eruption of the Grapes of Wrath in the Middle East: The Necessity of Communicating Instead of Clashing (2006). Ele também tem vários artigos publicados, nos quais analisa a organização dos sistemas de mídia na África e Oriente Médio, o jornalismo no mundo árabe e seu papel em uma sociedade de tensões, diferenças e conflitos religiosos, étnicos e militares.

Erik Neveu

Já Erick Neveu é diretor do Institut d’Etudes Politiques de Rennes, na França, onde atua como professor de ciência política. Coordenou a equipe de pesquisadores do Centre de Recherches Administrative et Politiques (CNRS) e foi membro e vice-coordenador do Comitê Executivo do European Consortium for Political Research.

Neveu dedica-se à pesquisa do jornalismo e esfera pública, dos movimentos sociais, dos estudos culturais e de gênero. Entre seus livros publicados estão Une société de communication? (1994), Introduction aux Cultural Studies (2003) e Sociologie du Journalisme (2001), tendo este livro já sido traduzido para o português, espanhol e turco.

O professor também tem vários artigos publicados em revistas especializadas, nos quais analisa as transformações do jornalismo e suas interfaces com o campo da política, mercado e cultura, particularmente relacionando o jornalismo a questões de gênero e ao espaço público midiático na França.

[Biografia] Pamela Shoemaker

Por Beatriz Amendola

Teoria da notícia, sociologia da mídia e comunicação política: estes são alguns dos temas estudados por Pamela Shoemaker, professora da S.I. Newhouse School of Public Communications at Syracuse University que realizou a conferencia de abertura do 7º SBPJor, “Readers as gatekeepers of online news: Brazil, China and United Sates

Shoemaker é bacharel em jornalismo e mestre em comunicação pela Ohio University e tem doutorado em Comunicação de Massa pela University of Wisconsin. Anteriormente, ela já atuou como diretora da Escola de Jornalismo da Universidade de Ohio e docente do Departamento de Jornalismo da Universidade do Texas.

Além de já ter dezenas de artgos publicados, a docente também é autora de vários livros, entre eles: Gatekeeping Theory (2009); News Around the World: Practitioners, Content and the Public (2006); How to Build Social Science Theories (2004); Mediating the Message: Theories of Influences on Mass Media Content (1991, 1996); Gatekeeping (1991); Building a Theory of News Content (1987).

[Prêmio] Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo

Por Raissa Pascoal

Criado em 2004 pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo, o Prêmio Adelmo Genro Filho reconhece a qualidade e relevância do trabalho acadêmico em jornalismo realizado por pesquisadores de universidades ou centros de pesquisa. Dentre os quesitos de avaliação, presentes no regulamento, estão a adequação do tema ao Jornalismo e originalidade.

Neste ano, o prêmio está na 4ª edição. Dividido em quatro categorias – iniciação científica, mestrado, doutorado e sênior – a finalidade é premiar pesquisadores que tenham contribuído para consolidar o Jornalismo como campo de conhecimento científico no Brasil.

[Biografia] Adelmo Genro Filho

Por Raissa Pascoal


Adelmo Genro Filho – jornalista, professor, teórico e militante – nasceu no Rio Grande do Sul, em 1951, e morreu em Santa Catarina,em 1988.

Ingressou na atividade política ainda adolescente, na qual atual como líder estudantil e membro de organizações clandestinas de resistência à ditadura militar.

Em 1975, formou-se pela Faculdade de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria.

Tornou-se professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 1976. Lá, cursou mestrado em Ciências Sociais, do qual resultou no livro “O segredo da pirâmide – Para uma teoria marxista do jornalismo”, importante referência sobre teoria do jornalismo na América Latina.