[Sessões] Coordenada 2 – O conceito de acontecimento jornalístico

Por Raissa Pascoal

Coordenada por Christa Berger, a Sessão Coordenada 02 teve como tema “Acontecimento Jornalístico – 1”. Ela é fruto de um projeto de pesquisa realizado entre quatro universidades do País: UFMG, UFSC, UFRGS e Unisinos. Chamada “Tecer: jornalismo e acontecimento”, com convênio com PROCAD/CAPES (2008-2012), a pesquisa propôs à Sessão debater o conceito de acontecimento jornalístico.

O primeiro texto trabalhado foi “Tipologias do acontecimento jornalístico”, de Frederico M. B. Tavares e Christa Berger. Berger apresentou modos como os tipos de acontecimento são classicados por diversos autores. Segundo a pesquisadora, todas as classificações são provenientes de pesquisas empíricas.

Marcia Benetti, autora do artigo “O jornalismo como acontecimento”, discute o pressuposto “de que nem todo fato é um acontecimento jornalístico e de que nem toda enunciação é um acontecimento discursivo”. Os autores trabalhados por Benetti para discorrer sobre acontecimento jornalístico foram Alsina, Rodrigues, Queré, Hall e Charadeau. Já para trabalhar o acontecimento discursivo, a pesquisadora estuda Pêcheux, Foucault e Orlandi.

Paulo Bernardo Vaz e Elton Antunes, autores de “Acontecimento e homofobia: considerações sobre agendamento, noticiabilidade e enquandramento”, colocam em questão o pensar do acontecimento dentro do que eles chamaram de processo contínuo de triangulação. A homofobia foi tomada como um contexto para entrar numa análise mais detida. Em linhas gerais, o agendamento está relacionado às maneiras de que um processo pode acontecer. A noticiabilidade é a existência de critérios que julgam se um acontecimento é relavante para se tornar notícia. Já o enquadramento refere-se ao modo em que se enfoca um caso.

No artigo “O acontecimento em sua dimensão semiótica”, Ronaldo Henn discute o acontecimento segundo às categorias fenomenológicas de Charles Sanders Peirce. O pesquisador trabalha sobre o entendimento da passagem do acontecimento jornalístico do plano ideal para o plano da história. Um acontecimento ideal, de acordo com Deleuze, é uma singularidade, ou seja, um conjunto de condições iniciais que possibilitaram determinados processos.

Após a exposição de cada trabalho, a coordenadora da Sessão, Christa Berger, abriu para o debate entre os pesquisadores e os participantes.

Anúncios

1 Comentário

  1. […] Sessão Coordenada 2 –  “Acontecimento Jornalístico – 1” (Coordenadora: Christa Berger) […]


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s